Parcele sua compra em até 6 vezes no cartão de crédito. Visa card MasterCard Black card American Express Black card

As 10 melhores obras dos Museus Capitolinos em Roma

Se você é apaixonado por arte e história, você não pode perder os Museus Capitolinos em Roma. As coleções do museu mais antigo do mundo o deixarão admirado. Você está pronto?

Isabel Catalán

Isabel Catalán

Leitura de 6 minutos

As 10 melhores obras dos Museus Capitolinos em Roma

Vista do Museu | ©Faun070

Desde que o Papa Sixtus IV doou uma coleção de bronzes aos Museus Capitolinos em Roma no século XV, sua coleção continuou a crescer, tornando-a o principal museu municipal da cidade e um lugar essencial a ser visitado durante uma viagem à capital italiana.

Há muito o que ver dentro de suas paredes. Tesouros artísticos autênticos de diferentes épocas, dos quais lhe darei uma pequena prévia neste post para ajudá-lo a contextualizar o que você vai descobrir quando lá estiver. Ah, e não se esqueça de dar uma olhada nos preços dos ingressos para os Museus Capitolinos e no horário de funcionamento dos Museus Capitolinos para preparar sua visita em detalhes.

1. A Capitolinha She-wolf

Capitólio Estátua de She-Wolf| ©Daniel Kelly
Capitólio Estátua de She-Wolf| ©Daniel Kelly

No centro do Salão da She-Wolf, nos Museus do Capitólio, encontra-se a estátua da She-Wolf do Capitólio, o símbolo de Roma.

Diz a lenda que esta loba encontrou os gêmeos Romulus e Remus nas águas do Tibre, perto do Monte Palatino, e os amamentou como se fossem seus próprios filhos. Os dois se tornariam mais tarde os fundadores da cidade, embora muitas teorias afirmem que este mito é apenas uma invenção dos romanos para envolver o nascimento da cidade imperial em glória épica.

A estátua da "She-wolf Capitoline" data do século XI ou XII e é feita de bronze. Acredita-se que seja uma cópia de uma estátua etrusca que teve um papel sagrado na Roma Antiga. As duas pequenas figuras de Rômulo e Remo que acompanham a 'Luperca', por outro lado, foram acrescentadas ao conjunto em uma data posterior, no final do século XV.

Como curiosidade, na Piazza del Campidoglio (de cujo mirante há uma das melhores vistas de Roma) há uma réplica da She-wolf Capitoline que também atrai muitos olhos. Não se esqueça de tirar uma foto dela!

Comprar ingressos para os Museus Capitolinos

2. A Estátua Equestre de Marcus Aurelius

Estátua Equestre de Marcus Aurelius| ©Tyler Bell
Estátua Equestre de Marcus Aurelius| ©Tyler Bell

Durante o Império Romano, as estátuas equestres eram muito numerosas na cidade, mas o que torna a estátua de Marcus Aurelius especial é que ela é a única estátua equestre da Antiguidade que sobreviveu à Idade Média. Durante este período, a maioria destas obras de arte foram fundidas para cunhar moedas com seu bronze.

Se a estátua equestre de Marco Aurélio sobreviveu até hoje, é porque ele foi confundido com o Imperador Constantino I, que, através do Édito de Milão, parou a perseguição aos cristãos e deu liberdade de culto no Império.

A estátua está atualmente alojada no Palazzo dei Conservatori dos Museus Capitolinos e há algum debate quanto à sua localização original. O mais provável parece ser o Fórum Romano ou Piazza Colonna (onde estava a Coluna Antonina) e não perto da Basílica de São João de Latrão, onde fontes medievais do século 10 atestam.

Você pode ver uma réplica desta estátua de bronze do século II d.C. na Piazza del Campidoglio, onde Michelangelo colocou o original no século XVI.

3. A Galata moribunda

A Galata moribunda| ©Javier Valero Iglesias
A Galata moribunda| ©Javier Valero Iglesias

Junto com as estátuas anteriores, a estátua da Gália moribunda é uma das mais populares nos Museus Capitolinos, pois mostra com grande realismo a dor de um gaulês derrotado em batalha pelo rei Atálio I de Pergamon, que luta contra a morte e se recusa a ceder ao seu destino.

Esta obra é considerada uma cópia romana em mármore de uma obra helenística anterior em bronze, que pertence à Escola de Pergamon, que estava acostumada a uma expressão mais profunda de pathos. Sua qualidade artística fez dela uma das obras da antiguidade mais admiradas pelos viajantes europeus no Grand Tour.

Parece que a estátua do Gálatas Moribundo foi descoberta durante escavações na Villa Ludovisi no início do século XVII junto com a estátua da Gália cometendo suicídio (exibida no Palácio de Altemps do Museu Nacional Romano), pois ambas faziam parte de um grupo escultórico de quatro figuras.

4. O Capitólio Vênus

Estátua de Vênus Capitolino| ©Ana Rey
Estátua de Vênus Capitolino| ©Ana Rey

A Vênus Capitolino é outra das estátuas mais populares nos Museus Capitolinos. Você o encontrará no que é conhecido como "Gabinete de Vênus", no andar térreo do Palazzo Nuovo del Campidoglio.

Esta escultura é uma réplica de uma escultura helenística criada pela Praxiteles no século IV a.C. Foi encontrada perto da Basílica de San Vitale no século XVII e o Papa Bento XIV comprou-a da família Stazi para doá-la aos Museus Capitolinos.

Ela retrata a deusa Vênus emergindo do banho nua, numa atitude de recolhimento, e tem sido objeto de numerosas réplicas conhecidas como "Capitolino Vênus".

5. A cabeça da estátua colossal de Constantino

Restos de estátuas gigantes| ©Sakena
Restos de estátuas gigantes| ©Sakena

Na mesma sala do Palazzo dei Conservatori onde se encontra a estátua equestre de Marcus Aurelius, você também pode ver a cabeça da colossal estátua de Constantino, que fazia parte de uma estátua sentada do imperador do século III d.C., da qual outras partes ainda estão preservadas e que você também pode ver durante sua visita aos Museus Capitolinos.

Os restos da colossal estátua de Constantino foram encontrados na Basílica de Maxentius no Fórum Romano no século XV.

Comprar ingressos para o Fórum de Roma

6. O Spinario

Estátua de Spinario| ©Javier Valero Iglesias
Estátua de Spinario| ©Javier Valero Iglesias

Esta escultura de bronze do século I AC é outra das obras mais populares nos Museus Capitolinos devido a sua pose única e temática incomum. Na verdade, durante a Renascença ela se tornou altamente valorizada e deu origem a várias réplicas, como as que estão expostas no Museu do Louvre em Paris e no Museu Pushkin em Moscou.

O Spinario retrata um menino sentado olhando a sola de seu pé esquerdo para remover um espinho que o prendeu.

7. Busto da Medusa

Busto da Medusa| ©Ana Rey
Busto da Medusa| ©Ana Rey

Na mitologia grega, Medusa era uma mulher de cabelo de cobra que tinha o poder de petrificar qualquer um que ousasse olhá-la nos olhos.

Este busto é uma obra de Gian Lorenzo Bernini no século XVII que representa o momento exato da metamorfose. A intenção do artista com esta escultura era demonstrar o talento do escultor e ao mesmo tempo brincar com o espectador, que pode ser "atordoado" como a Medusa ao admirar suas habilidades com o cinzel.

Você encontrará esta obra de arte em exposição no Palazzo dei Conservatori dos Museus Capitolinos.

8. O Marforio

O Marforio nos Museus de Capitólio| ©Ana Rey
O Marforio nos Museus de Capitólio| ©Ana Rey

Outra das obras de arte mais famosas nos Museus Capitolinos é o Marforio, uma escultura colossal em mármore do século I d.C., que originalmente adornou uma fonte romana do período flaviano.

Ela representa a personificação de um oceano ou de um rio e foi encontrada no século XVI no Fórum de Augusto, ao lado do templo de Marte Ultor. Agora pode ser visto no pátio do Palazzo Nuovo.

9. O Mosaico das Pombas

Pintura O Mosaico das Pombas| ©Andrés Campillo Castejón
Pintura O Mosaico das Pombas| ©Andrés Campillo Castejón

Este fantástico mosaico do século II encontrado na Villa Adriana em Tivoli durante o século XVIII acredita-se ser uma cópia helenística da obra Soso de Pergamon feita para decorar o palácio do rei Eumenes II de Pergamon.

O Mosaico das Pombas é um excelente exemplo do grau de habilidade que a técnica do mosaico atingiu em Roma, criando efeitos muito realistas com apenas algumas tesselas de vidro e mármore.

Você pode ver este trabalho no Salão das Pombas. Lá você também terá a oportunidade de ver outros achados interessantes, como outros mosaicos, baixos-relevos e algumas pastilhas de bronze com leis gravadas.

10. A Boaventura de Caravaggio

Pintura Boaventura de Caravaggio| ©Caravaggio
Pintura Boaventura de Caravaggio| ©Caravaggio

Finalmente, na sala Santa Petronilla você pode ver a tela de La Buenaventura, uma das primeiras obras do pintor Caravaggio, que foi bastante revolucionária para o final do século XVI, pois partiu do quadro histórico dominante da época (onde abundavam temas bíblicos e mitológicos) para se concentrar na vida cotidiana do povo da época.

La Buenaventura retrata uma menina cigana predizendo o futuro a um jovem ingênuo, que ela também rouba o anel de sua mão, aproveitando o fato de que ele se distrai com o sorriso dela.

Além de seu tema incomum, este trabalho causou um alvoroço entre os estetas da época. A razão? Veja as mãos da menina, porque Caravaggio as retratou sujas, refletindo a falta de higiene das classes trabalhadoras da época.

Como eu disse, isto não agradou aos estetas, que não fizeram nenhuma concessão à vida cotidiana em suas pinturas, mas afirmaram que a beleza na arte deveria ser priorizada e elevada acima dos temas sociais.

Comprar ingressos para os Museus Capitolinos